Entretenimento, Filmes

Festival Internacional de Cinema Fantástico traz tarde Harry Potter e concurso de Cosplay

O 7º Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico está de volta! Após cinco anos desde a sua última edição, o evento aconteceu entre os dias 6 a 11 de setembro no Museu da Imagem e do Som (MIS). Foram exibidos mais de 100 longas e curtas, além da presença confirmada de Raphael Draccon e Carolina Munhóz, escritores best-sellers de literatura fantástica brasileira.

A programação contou com mostra competitiva para curtas e longas-metragens, exibições temáticas para fãs de Harry Potter e Pokémons, palestras sobre literatura e cinema e atividades, tudo relacionado ao universo da fantasia, horror e ficção científica.

Espinha dorsal do Cinefantasy, a mostra competitiva explorou o cinema fantástico mundial, trazendo filmes de diversos países e diferentes culturas. Dentre os 900 inscritos foram selecionados 98 títulos, sendo 9 longas e 89 curtas-metragens de países como EUA, Canadá, Espanha e França e países não tão comuns ao cinema fantástico como Martinica, Finlândia, Líbano e Grécia.

A grande diferença de participação entre a última edição e a de 2016 ficou com o Brasil. A quantidade e qualidade dos títulos nacionais, principalmente em relação aos longas-metragens, está evidente. Este ano foram exibidos 32 curtas brasileiros e 4 longas que concorreram ao troféu “Corpo-Seco Dourado” entregue pelo festival.

Entre os destaques internacionais da Mostra Competitiva esteve o longa finlandês BUNNY THE KILLER THING de Joonas Makkonen, inédito no Brasil e premiado no Rojo Sangre de Buenos Aires. Nele, um grupo de jovens fica preso em uma cabine onde são atacados por uma criatura meio homem, meio coelho. Sua história de horror brinca com o clássico estilo “jovens, cabana e assassino”, porém com desfecho inusitado.

Já da Itália vem o FANTASTICHERIE DI UN PASSEGGIATORE SOLITARIO, primeiro filme do diretor Paolo Gaudio, que fez sua estreia no Brasil no Cinefantasy. Na bagagem, o longa traz prêmios de melhor filme em nos EUA, França e o Prêmio Mario Bava de Melhor Obra Prima do Fantasfestival de Roma. Este filme de fantasia mistura animação stop motion e live action sob o ar lúdico da história de três personagens em épocas diferentes, que buscam o sonho da liberdade tendo um misterioso livro conectando seus mundos.

Não é só de belas praias paradisíacas que Martinica, nas ilhas caribenhas, pode ser lembrada. O longa animado de ficção científica, BATTLEDREAM CHRONICLE de Alain Bidard será o representante do país na mostra competitiva do festival trazendo a história de uma jovem escrava que busca a liberdade em um mundo futurístico reduzido a escravidão e vídeo games.

Outro destaque do Festival é o longa MASKOUN é um filme libanês de horror baseado em fatos reais de atividades paranormais do Oriente Médio. Realizado pelos diretores Krystie Houiess e Shariff Abdunnur, o filme busca trabalhar com as técnicas clássicas do cinema evitando os efeitos de computação gráfica.

O aumento da presença das mulheres como realizadoras chamou a atenção na programação do 7º Cinefantasy. São 14 filmes da mostra competitiva em que as mulheres estão na direção ou co-direção, onde nas edições anteriores era rara a presença feminina nesses papeis.

A força das mulheres não está apenas atrás das câmeras, mas nas personagens de muitos dos filmes presentes no 7º Cinefantasy. É o caso do brasileiro, BLAXPLOITATION: A RAINHA NEGRA De Edem Ortegal: A Rainha Negra que traz personagens mulheres, negras e guerreiras que vão atrás de seu destino.

O Cinema Espanhol Fantástico
Já não é de hoje que a Espanha se destaca como o país da nova era do cinema de horror e dessa forma não é novidade que o país foi o que teve maior número de inscritos no 7º Cinefantasy, principalmente nos gêneros de horror e ficção científica. Foram 166 inscritos e 28 foram selecionados para a mostra competitiva sendo que os filmes mais assustadores formam uma sessão exclusiva chamada “España Macabra”, foram 8 curtas que trazem o que há de melhor no cenário atual de horror espanhol.

PREMIAÇÃO
Com o total de 28 categorias na premiação, o Cinefantasy contemplou os melhores curtas e longas de fantasia, horror e ficção científica, além categorias técnicas como melhor diretor, roteiro e trilha, categorias divertidas como melhor vilão, criatura e vítima e categorias exclusivas de estimulo aos brasileiros com o prêmio estímulo amador e estudante.

ENCONTROS E BATE-PAPOS
Festival de Cinema com Alma Geek

Nas atividades paralelas, o 7º Cinefantasy teve uma tarde especial para os fãs do Harry Potter com exibição de três filmes do bruxinho escolhidos pelo público na fanpage do Cinefantasy, além de um concurso de Cosplay com premiação especial durante o evento. Os fãs antigos e novos da série japonesa, Pokémon, também tiveram espaço para se divertir no evento com um passeio ciclístico com paradas para caçada de Pokémons, com chegada no MIS para assistir o filme Pokémon de 1998.

O Cinefantasy não abordou apenas o fantástico no cinema, mas também em outras formas que esse gênero se difunde como na literatura. No sábado, dia 10, houve a palestra com Raphael Draccon, um dos escritores que mais vendem no Brasil, criador das trilogias Dragões de Éter e Legado Ranger, além de roteirista da nova série da Tv Globo Supermax que esteve em setembro. Draccon falou sobre a criação de mundos fantásticos e sua carreira, um assunto não apenas aos fãs aficcionados mas também para quem quer seguir os passos do escritor na literatura. Após a palestra ele e sua esposa, também escritora de best-sellers como “O Inverno das Fadas” e “Por um Toque de Sorte”, Carolina Munhóz, fizeram uma sessão de autógrafos.

O Festival de Cinema Fantástico teve também uma sessão especial dedicada ao proeminente diretor brasileiro Victor-Hugo Borges, criador da série Historietas.

Assombradas (Para Crianças Malcriadas) exibida no Cartoon Network. A sessão terá exibição de dois curtas-metragens do diretor, “O Menino que Plantava Invernos” e “Historietas Assombradas (Para Crianças Malcriadas)”, que deu origem à série televisiva. Após a exibição, o diretor esteve presente para falar de sua carreira, a produção de gênero no país e o longa da série que está sendo finalizado.

Post AnteriorPróximo Post